titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O filósofo coreano e a "Sociedade do Cansaço".


Depois de um feriado longo, não fica pesado a gente fazer aqui um comentário sobre filosofia moderna. Estes dias eu vi uma entrevista no jornal espanhol EL PAIS de um filósofo coreano que vive e produz seus trabalhos em Berlin, Alemanha. 
O nome dele é Byung-Chul Han, e já é considerado um dos maiores pensadores modernos, autor de 16 obras que refletem sobre as aflições que assolam o indivíduo nos tempos atuais incluindo "A sociedade do cansaço" e "A sociedade da transparência". 
O filósofo francês Jean Baudrillard disse que o inimigo externo do homem foi o lobo, depois o rato, o mosquito e um vírus. Han diz que a diferença é que hoje o inimigo exterior do homem é a violência concorrencial individual, que leva à exaustão, à depressão e ao câncer. Ou seja, a corrida para ser o melhor, o mais competente, o mais eficiente, o mais valorizado. E nem está presente mais a questão do trabalhador alienado de Marx. Segundo Han, isso não se aplica mais porque o homem moderno é o seu próprio explorador: "o sistema obriga todo indivíduo a atuar como se fosse um empresário, um competidor do outro, com quem tem apenas uma relação de concorrência”, diz.  
O sujeito se vê livre mas, na verdade, vive uma auto-exploração voluntária até a exaustão total
Por isso, na sociedade do cansaço, todos estão cansados e deprimidos, mesmo que economicamente bem. É o caso da Coréia, de Han, por exemplo. 
Nestes dias, o econimista Armínio Fraga deu uma entrevista ao Estadão dizendo que o salário-minimo está alto demais para a produtividade dos brasileiros. 
Como consultor de bancos, ele quer pressionar para que acreditemos que somos realmente todos ineficientes e pouco produtivos, coisa que a revista The Economist, britânica, veio ratificar também em reportagem sobre o Brasil esta semana. 
Não é por acaso. É um movimento concertado. É tentar importar a "sociedade da exaustão" para o Brasil, mesmo. 
O passo seguinte é oferecer crédito a juros altos para propulsionar pretensões de aprimoramento ou crescimento profissional. 
Tudo está ligado. Filosofia e o dia-a-dia do seu cartão de crédito. 
Pense bem. 

Nenhum comentário:

.