titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Secretário cearense derruba os mantras sobre turismo ouvidos no RN


A excelente entrevista do Secretário Estadual de Turismo do Ceará, Bismarck Maia à jornalista Andrielle Mendes, da Tribuna do Norte do último domingo prestou colaboração inestimável ao Rio Grande do Norte. Desmistificou alguns mantras eternos ouvidos por todos nós no setor de turismo do Estado:
PRIMEIRO MANTRA:
"quando o turista estrangeiro não vem, o setor entra em crise"
O Secretário cearense desmente isso: ele afirma que desde 2007, quando iniciou seu trabalho, priorizou o mercado nacional. Ele diz: "O turista de Fortaleza está aqui em Natal. O de Natal está em Fortaleza, em Recife, em São Paulo. Eu não vejo, com alguma exceção, campanhas internacionais que tiveram sustentabilidade."  Ou seja, no NOVO BRASIL, o turista brasileiro é a alavanca principal. Se ele não gostar do destino proposto, o estrangeiro menos ainda. 
SEGUNDO MANTRA: 
"Temos belezas naturais inigualáveis, que se bastam"
NADA MAIS ENGANADOR E INDUTOR AO CONFORMISMO! 
O Secretário confirma: O CE é repleto de belezas naturais, mas isso não basta! Não é diferencial! Sem infraestrutura, não vamos a lugar algum. 
De fato, não basta ter praias maravilhosas, se estão inacessíveis ou são passeio de meio dia pq não dispõem de restaurantes, hotéis e serviços de qualidade. Não basta ter cavernas, serrotes, fazendas, cidades históricas, lagoas, alambiques, se estas se encontram escondidas, mal tratadas, desestruturadas para receber visitantes. Enfim, o PRIMORDIAL no estado em que nos encontramos é APOIAR o empreendedor turístico local com INFRAESTRUTURA. O resto, o turista descobre e conta pros outros... 
ISSO NOS REMETE AO 3o MANTRA: 
"o problema do turismo do RN é falta de promoção"
FALSO! Eleger o turismo como prioridade NÃO é ficar pagando agência de propaganda para colocar anúncios nos pontos de originação turística, apenas. Isso todos hoje fazem. O turista não escolhe apenas com base em propaganda, que muitas vezes pode até ser enganosa. O Secretário cearense diz "muitos secretários vão para reunião com o Governo Federal para pedir recurso para festa e pra promoção. Aí não tem. Mas se chegar lá com projeto debaixo do braço, o dinheiro sai. O CE pediu dinheiro para fazer aeroportos, construir estradas de acesso, obras estruturantes para o turismo - e ainda conseguiu empréstimos de mais de U$700 milhões junto a bancos internacionais, para o Turismo. 
No caso do RN, se fizer propaganda hoje, será com certeza enganosa - digna de se ir ao PROCON. O estado peca pela falta de aprimoramento e modernização das suas atrações, no preparo de seus profissionais para atendimento ao turista, na infraestrutura, na sinalização, na segurança, no monitoramento, no alcance do serviços públicos aos turistas, entre outras coisas... É certo que temos belissimas paisagens e belezas naturais mas elas têm que ser geridas e exploradas com critérios de qualidade, sustentabilidade e, principalmente, conforto para o turista.
Ao invés disso, o que é que o turista encontra hoje no RN? Atrações precárias em qualidade e segurança, preços oportunistas (feitos de acordo com a cara do cliente), serviços hiper-ineficientes que só marcam a jornada do turista negativamente e ainda praias e interior invadidos pelo lixo plástico, paredões de som ensurdecedores e infra-estrutura desconfortável. 
Resultado: turistas que não voltam, movimento que cai e com isso há aumento das passagens aéreas e dos preços em geral para os poucos que ainda se aventuram a vir. 
TEMOS QUE ACORDAR! O turismo foi e sempre será, se cuidarmos dele, o nosso MAIOR ativo econômico! Mais que qualquer ciclo energético, extrativista ou industrial. E um setor que pode ser limpo e sustentável, e gerar receita sem gerar impactos na qualidade de vida do nosso cidadão. 
Portanto, vamos abandonar estes mantras enganadores pensar melhor no nosso próprio estado de coisas - ver defeitos para procurar as soluções, sem nos enganarmos. Para o bem dos nossos filhos e netos. 
Comentário original (áudio)

Nenhum comentário:

.