titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

domingo, 31 de julho de 2011

Petrobras, Eletrobras, Wobben e Alubar integram o CERNE


 
NATAL / RN, 29/julho/2011 - Mais quatro empresas de grande porte do setor de energia passam a integrar o quadro de mantenedores do CERNE, sediado em Natal/RN: Petrobras, Wobben, Alubar e Eletrobrás, por meio das subsidiárias eólicas  Mangue Seco I, II, III e IV, assinaram a ficha de filiação e, a partir de agora, participam das iniciativas do centro relativas a recursos naturais e energia, focadas no Nordeste setentrional.

O CERNE - Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia - é uma instituição que reúne grupos empresariais, especialistas e entidades setoriais, para pensar e implementar estratégias relativas ao aproveitamento sustentável dos recursos naturais e energéticos.

Atualmente, o CERNE conta com representantes de grupos empreendedores do setor energético como EDP Renováveis, CPFL Energia, Bioenergy, Gestamp Wind, Abengoa Solar, Grupo Martifer e Grupo Serveng. Além delas, participam também empresas dos setores de petróleo e gás, energia solar e outras fontes alternativas, mineração e sal, agronegócios, recursos hídricos, aquicultura e pesca sustentável, desenvolvimento urbano, infraestrutura e meio ambiente.
Segundo o diretor-geral do CERNE, Jean-Paul Prates, a entrada dos quatro novos grupos deverá reforçar os grupos de discussão existentes e contribuir para a implementação de novas estratégias, originadas a partir da convivência dos grupos no âmbito do Centro. “O CERNE trabalha pela consolidação de um ambiente operacional que seja atrativo ao investimento na nossa região. Temos atuado em questões e problemas locais relativos à logística, infra-estrutura, meio ambiente, regulação e tributação. Quanto mais mantenedores tivermos que tenham atuação e investimento diretos na região, mais efetiva será nosso trabalho conjunto”, garante. 
(NT)

sexta-feira, 29 de julho de 2011

MAIOR PUBLICAÇÃO DE PETRÓLEO E GÁS DA AMÉRICA LATINA SEDIADA EM NATAL


NATAL / RN, 28/jul/2011 - O Rio Grande do Norte está cada vez mais inserido no segmento de energia e petróleo  mundial. A partir de agora, a mais importante publicação internacional do setor, a Oil & Gas Journal Latinoamericana passa a ser impressa e distribuída na capital potiguar.
A iniciativa arrojada partiu do empresário, advogado e economista Jean-Paul Prates. “Com as facilidades geradas pela tecnologia, ficou mais fácil para as empresas deixarem os grandes centros e passarem a ocupar cidades menores, criando novas oportunidades de emprego e renda e reduzindo os seus custos operacionais. Além disso, a transferência da sede dos negócios para Natal coloca a cidade como centro de uma publicação importante do setor de energia e petróleo.”
A publicação da Oil & Gas Journal, exclusivamente voltada para o mercado Latino-americano, é bimestral e há 12 anos é líder no continente.  Em versão bilíngüe (português e espanhol), é distribuída para 10 mil assinantes na América Latina, Caribe e também América do Norte (20% dos leitores).
Em pauta, fatos e informações relacionadas às principais regiões de operação em energia e petróleo: Brasil (offshore), Venezuela, Argentina, Bolívia (gás), México e Colômbia. Matérias especialmente apuradas - incluindo concessões exploratórias, operações de perfuração e produção, atividades dos segmentos de refino e distribuição, comportamento do mercado de combustíveis, gás natural, biocombustíveis (álcool e biodiesel) e política energética dos países, além de uma seção especial sobre energia elétrica.
Histórico: A Oil & Gas Journal foi lançada há quase cem anos (em 1902) nos Estados Unidos. De lá pra cá foi testemunha de todos os importantes eventos da história do petróleo mundial, tornando-se referência inigualável no setor em todo o mundo. 
Na versão eletrônica, a publicação traz as reportagens completas da edição impressa e a atualização das principais notícias do setor.  O endereço do site é www.ogjla.com.br
Acompanhe as atualizações: adicione Oil & Gas Latinoamericana no Twitter: @OGJLA
(NT) 

quarta-feira, 13 de julho de 2011

CERNE SEGUE APOIANDO AS DISCUSSÕES SOBRE O DESTINO DO LIXO SÓLIDO

Natal, 13/JUL/2011 - Sempre envolvido nas discussões a respeito da gestão de resíduos e principalmente do potencial de geração de energia a partir destes,   O CERNE – Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia, está apoiando o evento  GESTÃO DE RESÍDUOS NA INDÚSTRIA E NO PÓS-CONSUMO. O evento é uma realização do IBC, por meio do Informa Group, e vai acontecer entre os dias 20 e 21 de setembro de 2011 em São Paulo.
O encontro vai tratar da destinação que é dada, atualmente, aos resíduos gerados pelas indústrias no Brasil. Durante os dois dias de evento, serão debatidas as alternativas e os modelos considerados eficientes e também a nova legislação sobre o tema.   O objetivo é  promover discussões e debates, em busca de modelos eficientes, ajustados à nova legislação, e também para promover a reciclagem, o tratamento, a disposição final adequada, e a diminuição da quantidade de resíduos gerados pelas indústrias.
Entre os tópicos previstos para discussão estão as etapas do gerenciamento de resíduos nas empresas, segundo a nova legislação, os entraves para a implementação do plano de gerenciamento de resíduos, os problemas causados pelos resíduos sólidos e líquidos que são gerados pelas indústrias brasileiras e as soluções encontradas. Os sistemas mais eficientes de gerenciamento de resíduos e de tratamento de efluentes. a melhor solução para aperfeiçoar a gestão ambiental em sua empresa. coleta seletiva, reciclagem e logística reversa.

Mais informações e programação completa: energia@ibcbrasil.com.br
 
* IBC são as iniciais de International Business Communications. A empresa foi criada em 1964 em Londres e, atualmente, é uma das marcas do Informa Group, plc. Com uma ampla rede de escritórios atuantes nos cinco continentes, a marca IBC identifica congressos, conferências, seminários e cursos para executivos em diversas áreas e segmentos da economia.
(NT)

CERNE APÓIA E ESTIMULA DISCUSSÕES SOBRE GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS



Natal, 12/Julho/2011 – Duas visitas, na tarde desta terça-feira, marcaram o fortalecimento das discussões em torno da destinação de resíduos sólidos, encabeçadas pelo Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia, com sede em Natal. A preocupação com o destino do lixo e a necessidade de extinção dos modelos atuais de gestão de resíduos, aliada à entrada em vigor da Política Nacional de Resíduos Sólidos,  em 2 de agosto de 2010, levou os diretores do CERNE a buscarem novas opções, passíveis de serem implantadas no Nordeste brasileiro.
Hoje, segundo dados levantados pela Banca Consultoria, de Brasília, a cada dia são produzidas, em todo o país, cerca de 240 mil toneladas de lixo urbano. Quase dois terços deste(65%) correspondem ao lixo orgânico. O restante se divide em papel (60 ton), metal ( 9,6 ton), vidro e plástico (7,2 ton cada).  Todo esse contingente tem destinos considerados ultrapassados e ambientalmente hostis: 75% vai parar nos lixões, 13% são despejados em aterros controlados, 10% vão para aterros sanitários e uma pequena parte, 2% se destina à reciclagem.
Uma das opções que tem sido encontradas por municípios e empresários é a incineração. Escolha abominada por ambientalistas, pelos altos índices de resíduos e pela grande possibilidade de contaminação do meio ambiente.
Mas para a engenheira e pesquisadora do setor de tecnologia ambiental, Renata Crespo, existem maneiras mais inteligentes e rentáveis de destruição de lixo que a incineração.  Ela, assim como muitos pesquisadores na área, apoia a geração de energia a partir do plasma. Plasma é um gás altamente ionizado, capaz de conduzir eletricidade de baixa voltagem e altíssima amperagem, capaz de atingir temperaturas de até 7.000°C.

Esse tipo de tecnologia promete ser mais abrangente que a incineração, pois permite a utilização de qualquer tipo de resíduo sólido, exceto lixo radioativo, além de ser considerado “eco-friendly”, por incentivar a reciclagem e ser livre de odores. Para Renata, o plasma é o novo destino do lixo. Ela representa a empresa AlterNrg, que desenvolveu um modelo de usina de processamento de resíduos baseada na tecnologia de plasma.
Entre os produtos que podem ser gerados pela usina de plasma estão eletricidade,  vapor, etanol e diesel,  além de plástico reciclado, metais, britas e lã de rocha ou areia (dependendo do método de resfriamento utilizado).  Para os defensores, o grande trunfo do plasma  não está somente na geração de renda ocasionada pelos produtos gerados, mas também nos resíduos do processo, ou melhor, na falta deles. Segundo eles, se o processamento for realizado da maneira correta, não haverá geração de cinzas, nem formação de fumaça ou gases tóxicos.
Segundo os cálculos dos especialistas, uma tonelada de lixo urbano, processada em uma usina de plasma, pode gerar entre 1,0 e 1,3 Mwh de energia elétrica. E esse mesmo volume de resíduos processados é capaz de evitar a emissão de 2 toneladas de CO² na atmosfera. É a maior geração de energia elétrica por tonelada de resíduo, se comparado com outras tecnologias.
O RN foi o pioneiro na instalação de um aterro sanitário no Brasil. O local é administrado pela Braseco, empresa que atua no mesmo segmento na Itália.  Para Henrique Diniz, um dos diretores da empresa, o investimento em novas tecnologias de processamento de resíduos sólidos não só é necessário, como inevitável. Segundo ele, embora a empresa ainda não tenha uma posição firmada a respeito da implantação de uma usina de incineração ou de plasma, a tendência é que a segunda opção seja a escolhida, desde que haja o apoio do poder público.

Além da pesquisadora Renata Crespo, o CEO da empresa alemã Bellwether Gasification Technologies, acompanhado de executivos da Banca Consultoria Empresarial e do advogado André Elali, também estiveram no Cerne durante a tarde. A Bellwether desenvolveu e produz outro modelo de gestão de resíduos baseado na tecnologia de plasma.
O diretor-geral do CERNE, Jean-Paul Prates, reafirmou a intenção do centro em servir como  “ponte” para a aproximação das partes envolvidas no processo. Prates também formalizou o convite à Braseco para que passe a integrar o time de mantenedores/colaboradores da instituição. (NT)

sexta-feira, 8 de julho de 2011

RN é destaque em eólicas no All About Energy, em Fortaleza-CE




CERNE, com sede em Natal, apoiou o evento internacional


FORTALEZA, 08/07/2011 - O RN está presente no "All About Energy 2011", Congresso e feira que começou na última terça e termina hoje, em Fortaleza-CE. O evento conta com a presença das maiores empresas do setor de energia renovável do mundo, além de representantes de governos, investidores, pesquisadores e instituições setoriais nacionais e internacionais.
O CERNE (Centro de Estratégias em Recursos Naturais e Energia), com sede nacional em Natal, foi um dos apoiadores institucionais do evento. O diretor-geral do centro e ex-secretário de energia do RN, Jean-Paul Prates, mediou ontem uma mesa de debates técnicos sobre energia eólica com 13 palestrantes e que contou com a participação do Senador Ignacio Arruda (PCdoB-CE). 

"O Rio Grande do Norte tem grande satisfação de hospedar o maior número de MW em construção do País, fruto de uma política consistente de potencialização e atração destes investimentos, realizada ao longo dos últimos 5 anos", afirmou Prates, durante o encontro. "Provamos que temos, juntamente com o Ceará, o melhor potencial eólico do País. O mesmo ocorrerá com a energia solar. Agora temos que buscar a conquista de fábricas e tecnologia autóctone, buscando a multiplicação máxima dos efeitos positivos desta atividade, para as comunidades e a economia dos nossos Estados.", asseverou.



Entusiasta do segmento, o Senador Ignacio Arruda afirmou que as eólicas, tanto no CE quanto no RN, podem contar com o apoio intenso de toda a bancada parlamentar cearense. Ele afirmou que os aprimoramentos do ambiente operacional e regulatório do setor no seu Estado já estão surtindo efeito. "Ainda falta uma discussão política nacional acerca da integração destas fontes renováveis com as áreas de ciência e tecnologia e de meio ambiente, no âmbito federal. Vamos atrás de promovê-la.", afirmou. 
Representantes do Governo Federal confirmaram as novas datas para os leilões de energia que ocorrerão em 2011: 17 e 18 de agosto. Segundo a EPE (Empresa de Pesquisa Energética), o adiamento na data se deve ao grande volume de projetos cadastrados, que superou as expectativas. Segundo a instituição, responsável pelo cadastramento dos projetos para os leilões e pela definição das regras, já existem mais de 15.000MW em capacidade instalada de projetos habilitados. 


Durante o evento, o diretor da Abeeolica, Pedro Cavalcante, informou números aproximados da habilitação dos projetos eólicos para o Leilão Federal de 2011. O Rio Grande do Norte aparece mais uma vez em primeiro lugar disparado, com cerca de 3,200 MW inscritos. Depois aparecem o Rio Grande do Sul com 2.800MW; Ceará com 2.400MW; Bahia com 2.200MW; Piauí com 600MW e Pernambuco com 400MW. 

Para os projetos vencedores deste ano, a data de início de suprimento será março ou julho de 2014, dependendo do leilão de que participem. Serão dois: o "A-3", para compra de energia regular – que envolve todas as fontes sem restrições(hidrelétricas, térmicas a gás, eólicas, biomassa, carvão etc.), e o leilão de Reserva, destinado à compra de energia de reserva, com participação restrita a fontes eólicas e de biomassa. (JPP) 


segunda-feira, 4 de julho de 2011

Jean-Paul Prates concede entrevista à Lucia Hippolito (CBN-RJ )

O Diretor Geral do CERNE  foi o entrevistado do dia (04/JUL) do programa CBN Rio, apresentado por Lucia Hippolito.  Ele falou sobre o acordo para a redistribuição dos royalties do petróleo. 

Jean-Paul explicou que as discussões sobre o tema passam por grandes entraves e, até agora, avançaram muito pouco. Segundo ele, hoje, o Brasil continua a praticar as mesmas regras que eram aplicadas antes da existência do Marco Regulatório do Pré-Sal.  O especialista diz, ainda, quais são as soluções possíveis para avançar nessa questão, e que poderiam favorecer todos os envolvidos.

Lucia Hippolito é cientista política, historiadora e jornalista, especialista em eleições, partidos políticos e Estado brasileiro. É comentarista política da Rádio CBN e da Globonews. É âncora do CBN Rio.  

Confira a entrevista na íntegra:   http://t.co/Ir5QZeR
.