titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte: Estado quer criar dois novos polos para atrair indústrias

Emanuel Amaral
Depois de ter sido o estado com maior número de usinas, de megawatts comercializados e com melhor preço no leilão de energia eólica, realizado em dezembro do ano passado, o Rio Grande do Norte vem concentrando esforços em atrair indústrias de aerogeradores para o seu território, além de promover reuniões técnicas com cada uma das seis empresas que irão gerar a energia em solo potiguar. De acordo com o secretário estadual de energia e assuntos internacionais, Jean-Paul Prates, as medidas visam garantir que os projetos saiam efetivamente do papel e o RN possa começar a gerar energia eólica em 2012.

O secretário diz estar empenhado em trazer fabricantes dos equipamentos que serão implantados nos parques eólicos, sugerindo inclusive a criação de dois polos industriais de energia no estado. “Queremos indústrias de equipamentos para geração de energia eólica e produção de petróleo. Já sabemos que será necessário implantar, pelo menos, centros de manutenção das turbinas”, enfatiza.

Para Prates, é inviável que o Nordeste continue sendo abastecido por empresas sediadas em São Paulo, uma vez que os equipamentos são transportados por caminhões. Jean-Paul diz que são necessárias quatro carretas para transportar cada torre de um aerogerador, mais três para as pás e uma para a turbina, o que totaliza oito carretas para cada equipamento de geração da energia. “Se formos instalar 100 aerogeradores aqui no estado, receberemos 800 carretas, que precisam vir acompanhadas de alguns veículos com a função de batedores. É muito gasto de combustível fóssil, para gerar energia limpa”, lamenta.

Jean-Paul Prates revela ainda que reuniões técnicas com cada uma das seis empresas que irão gerar energia no RN começaram a ocorrer em janeiro passado, devendo continuar até março deste ano.


http://tribunadonorte.com.br/noticia/estado-quer-criar-dois-novos-polos-para-atrair-industrias/140077

Nenhum comentário:

.