titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Brasil Energia / Energia Hoje destaca ações do RN


O site especializado em energia ENERGIA HOJE, ligado à mais importante revista setorial brasileira, a Revista Brasil Energia, destacou as iniciativas do Estado do Rio Grande do Norte quanto ao desenvolvimento de parques eólicos e atração de fábricas e centros de manutenção técnica. Acompanhem no link http://www.energiahoje.com/online/eletrica/eolica-e-solar/2010/02/08/403815/rn-tera-pacote-para-eolica.html ou reproduzido abaixo:

RN terá pacote para eólicas
por Antonio Carlos Gil (Energia Hoje/Brasil Energia)


O governo do Rio Grande do Norte prepara um pacote de incentivos ao desenvolvimento da energia eólica no estado. As medidas incluem desoneração fiscal, agilidade em licenciamentos ambientais, melhoria de estrutura viária, investimento em logística portuária, convênio interestadual e uma linha de transmissão para escoar a produção das usinas.

A isenção ou redução de impostos deve atrair fabricantes de equipamentos para o segmento, aponta o secretário de Energia e Assuntos Internacionais (Senint) do RN, Jean Paul Prates. A dinamarquesa Vestas já confirmou a instalação de um centro de manutenção no estado e a Wobben Windpower acena com iniciativa semelhante.

Outra ideia é montar dentro da SENINT um núcleo do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA) para agilizar o licenciamento ambiental dos empreendimentos. Na mesma linha, Prates explica que há um trabalho voltado para mitigação de questões fundiárias devido à forte especulação imobiliária. Está na pauta um pré-zoneamento destinado a reservar áreas para instalação de parques eólicos, evitando assim conflitos com outras atividades.

Em parceria com o governo federal e municípios, serão feitas melhorias em estradas que atendem a região litorânea do estado e que hoje se encontram em situação precária, dificultando o deslocamento de equipamentos pesados em direção aos sites dos parques eólicos.

Há estudos também para usar o porto de Pecém para desembarque de equipamentos, até que a infraestrutura de um terminal no Porto do Mangue esteja pronta. A mesma estrutura poderá ser útil à Petrobras em futuras obras de expansão da refinaria de Guamaré. “Independentemente dessa obra estamos avaliando a possibilidade de tocar junto com o governo do Ceará a implantação de um Pólo Industrial Bilateral Eólico (PIBE) na divisa entre os dois estados, gerando emprego numa região de poucas oportunidades”, disse o secretário.

Já o projeto da LT seria uma alternativa às estações coletoras. O circuito iria de Russas a Natal, interligando o Ceará ao RN, com extensão de 400 km, e se conectaria às eólicas vencedoras do leilão de reserva. “Se não for possível viabilizar, também há alternativa de construção de um arco coletor com recursos privados”.

Jean Paul Prates participou do primeiro dia de atividades do Wind Forum 2010, realização do IQPC. (A.C.S.)

Nenhum comentário:

.