titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Governo do Estado, FIERN e SENAI promovem Workshop "Identificação de Oportunidades e Investimentos com a China"

O Governo do Estado do Rio Grande do Norte, por iniciativa da Secretaria de Energia e Assuntos Internacionais (SENINT) e da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (SEDEC), com o apoio da Federação das Indústrias do Estado (FIERN) e do SEBRAE-RN, realizará o 1o Workshop de Negócios RN-China, com o tema "Identificação de Oportunidades e Investimentos com a China".

O evento será na QUINTA
-feira, dia 18 de março de 2010, na Casa da Indústria, em Natal.

O
público-alvo é composto de empresários, empreendedores, profissionais liberais e dirigentes de entidades empresariais do RN interessados em iniciar ou aprimorar conhecimentos sobre as oportunidades de negócios e desafios relacionados com a China, além de integrantes das áreas de Desenvolvimento Econômico (Agricultura, Turismo, Indústria, Comércio e Serviços), Planejamento e Finanças, Energia e Relações Internacionais dos governos estadual e de municípios do RN.

Caso haja manifestações de interesse, iremos viabilizar a vinda de dois especialistas no assunto para apresentar,
gratuitamente, em local a ser definido, sobre os seguintes temas:

IDENTIFICAÇÃO DE OPORTUNIDADES NO MERCADO CHINÊS

Programação:

14h00 - Abertura
14h30 - Panorâmica sobre a China
15h30 - Características do Mercado Consumidor
16h00 - Intervalo para lanche
16h15 - Atrair investimentos e vender na China
17h00 - Debate
18h00 - Encerramento


Conteúdo de cada capítulo:

1.
Palestra Panorâmica sobre a China: Economia, Geografia, Cultura, História, Etnias, Política, Reformas 1979-2009, Desenvolvimento Social, Comércio Exterior, Perspectivas 2010-2030.

2.
Características do Mercado Consumidor: diferenças de renda e de desenvolvimento entre as regiões do Litoral, Norte-Nordeste, Sul e Centro-Oeste: províncias, regiões autônomas, regiões metropolitanas (municipalidades), as maiores cidades. Competitividade: custos de produção e infra-estrutura de logística.

3.
Realizar negócios na China: cultura de negócios; participação em feiras e rodadas de negócios; diferenças e semelhanças em política tributária, burocracia e contabilidade; promoção em supermercados e mercados populares; relacionamento com empresários e governantes chineses; pesquisas de mercado; planejamento estratégico para ingresso no mercado chinês: ações de curto, médio e longo prazos.

4.
Feiras em 2010 na China: com destaque para a realização, em Shanghai, da Expo Mundial, de maio a outubro, onde as cidades que sediarão a Copa 2014 terão espaço no estande do Brasil, coordenado pela Apexbrasil. Além desta, a Feira de Cantão, Chitec, SIAL etc (ao longo do ano, ocorrem cerca de 700 eventos na China continental, além de outros 100
que ocorrem em Hong Kong e Taiwan).

Convidado especialmente para atuar como monitor e palestrante principal do Workshop,
Vladimir Milton Pomar (Diretor de Negócios da BWP S/A, empresa ligada ao grupo BRASIF), já ministrou mais de 50 palestras sobre a China em federações de indústrias e outras entidades empresariais e governos, em 17 estados, desde 1997; e já realizou reuniões precursoras e seminários da APEX sobre o Brasil em várias províncias chinesas. Pomar atua, no Brasil e na China, na atração de investimentos, comércio exterior e relações institucionais, com empresas, entidades empresariais e governos municipais, estaduais e federal. Nesses 12 anos, passou quase dois anos na China, tendo visitado diversas feiras, e visitado 30 grandes cidades, de 15 províncias e regiões autônomas. Residiu em Beijing em 2007.

Também participará do Workshop o advogado
Marcelo de Oliveira Mello (sócio de MelloMartins - Advogados), que foi gerente jurídico da divisão internacional da PETROBRAS por quase 20 anos, onde foi responsável por coordenar todos os processos jurídicos relacionados a projetos de petróleo, gás e energia em quase 30 países, incluindo o processo de incorporação e atuação da Petrobras na China e larga experiência em fusões, aquisições e vendas de ativos, bem como compra, construção, projetos de financiamento e aluguel, redação e negociação de contratos para indústrias.

----

A título de "aperitivo", segue abaixo um resumo da matéria da News Week, de 26/10/2009, sobre a China.

Previsões sobre a China

1. A China sai como a grande vencedora da crise mundial.
2. Com o seu crescimento e sua capacidade de controle do sistema financeiro, a China ajudou a economia mundial a não cair numa recessão ainda pior.
3. Previsão crescimento PIB – 2009: 8.5%.
4. Reservas cambiais: 2,3 trilhões de dólares.
5. Investimentos no sistema ferroviário: 200 bilhões de dólares.
6. Novos aeroportos até 2012: 100.
7. 2º. e 3º. portos mais importantes do mundo (Shangai e Hong-Kong).
8. Novas rodovias: 70.000 km (particularmente nas regiões periféricas e nas áreas rurais, onde 40% dos vilarejos ainda não tem estradas asfaltadas).
9. Quatro das 10 mais importantes empresas mundiais na área das energias renováveis (solar, eólica e motores elétricos) já são chinesas.
10. Previsão de que até 2020 o piso social será a classe média.
11. Em 10 anos, o desequilíbrio entre as regiões desenvolvidas da costa e as atrasadas do interior será reduzido em 50%.
12. O número de empresas privadas passou de 20 milhões, em 1990, para 40 milhões, em 2009.
13. O consumo doméstico representa 37 % da economia e está crescendo. O restante da economia reside em investimentos privados ou públicos e em poupança. A China é o país com a mais alta taxa de poupança no mundo.
14. Investimentos em economia "verde": 218 bilhões de dólares.
15. A China já é o país que mais produz energia renovável e está se tornando exportador de tecnologias limpas.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Grupo [Martifer] tem projetos [eólicos] para o RN

Emanuel Amaral
Representantes do grupo português Martifer, um dos vencedores no leilão eólico realizado em dezembro passado pelo Governo Federal, estão no Rio Grande do Norte para apresentar os detalhes da obra das duas usinas eólicas que serão erguidas e operadas pela companhia no município de Areia Branca, distante 330 quilômetros de Natal. Serão investidos pouco mais de R$ 250 milhões na implantação dos parques eólicos Mar e Terra e Areia Branca, que terão capacidade para gerar 50,4 megawatts (MW) de energia, o suficiente para atender a cerca de 150 mil residências. As obras estão previstas para começar entre os meses de janeiro e fevereiro de 2011, com as operações sendo iniciadas em janeiro do ano seguinte.

Ontem, eles se reuniram com o vice-governador Iberê Ferreira e o secretário de Energia, Jean Paul Prates. De acordo com o diretor-presidente da Martifer Renovável, Armando Abreu, a opção em investir no RN foi por este ser um estado com enorme potencial eólico, aliado a uma série de incentivos governamentais para a geração desse tipo de energia. “Os incentivos fiscais que recebemos e ações para agilizar o processo de implantação dos parques nos dá conforto e bastante confiança em atuar no estado”, afirma Abreu.

Com a implantação dos equipamentos, o grupo acredita que serão gerados mil empregos e a maior parte da mão-de-obra será buscada nos municípios da região de Areia Branca. “Na construção de um parque eólico, há uma série de atividades envolvidas e é muito mais lógico que busquemos trabalhadores na região, principalmente para a parte estrutural”, explica.

Armando Abreu revelou também que o grupo pretende firmar parcerias para atuar em solo potiguar e atualmente está na fase de final de uma negociação com a Companhia Hidro Elétrica do São Francisco (Chesf). Entretanto, o diretor da empresa portuguesa não deu detalhes de como a Chesf deverá atuar.

Esses dois parques devem ser apenas os primeiros implatados pelo grupo português no RN, uma vez que a Empresa de Pesquisa Energética já sinalizou que haverá um novo leilão de energia eólica este ano e a Martifer pretende participar novamente do pregão. A intenção da empresa é viabilizar, entre outros projetos, mais quatro parques eólicos no estado, capazes de gerar um total de 100 MW.

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Alta Administração do Martifer será recebida em Natal. Grupo português tem 2 parques em Areia Branca, vencedores no Leilão Federal de dezembro.

Representantes da alta administração do Grupo Martifer, liderados por seu presidente mundial, Jorge Martins, farão visita oficial a Natal nesta 3a Feira, a convite da Secretaria de Energia do Estado.

O Grupo Martifer é um dos maiores grupos industriais de Portugal e saiu vencedor de dois parques eólicos no Leilão Federal de dezembro/2009. Estes empreendimentos começarão a ser instalados no município de Areia Branca (RN) totalizando 50,4 MW e um investimento total estimado em torno de 252 milhões de reais.

Durante toda a manhã, a delegação se reunirá com as entidades relacionadas com a fase de implantação (SECRETARIA DE ENERGIA/FIERN, IDEMA, SENAI/CT-GÁS, DER-RN, SPU, IPHAN, COSERN, BNB, entre outras), para instalação da Força-Tarefa de Implantação dos Parques Martifer (FT-Eólicas/Martifer), a ser coordenada pela Secretaria de Energia em conjunto com a FIERN.

"Trata-se de uma iniciativa conjunta da nossa Secretaria com a FIERN com vistas a recepcionar cada um dos grupos vencedores do Leilão Federal. A formação de uma Força-Tarefa específica para cada conjunto de projetos, por empreededor, garantirá maior celeridade e eficácia na comunicação e interação com as entidades estaduais e federais envolvidas com a implantação dos parques" - explica o Secretário de Energia do Governo do Estado, Jean-Paul Prates.

À tarde, a delegação lusa será recebida em audiência pelo Vice-Governador do Estado, Iberê Ferreira de Souza, para apresentar detalhes dos projetos e receber as boasvindas e o apoio do Governo do Estado aos empreendimentos.


INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES:

Delegação:

Jorge Martins --> Presidente Mundial do GRUPO MARTIFER







+Afonso Proença --> CEO da MARTIFER RENEWABLES
José Rodrigues --> CEO da MARTIFER CONSTRUÇÕES
Armando Abreu --> CEO da MARTIFER RENOVÁVEIS DO BRASIL
Miguel Lobo – Diretor de Planejamentos da MARTIFER RENEWABLES
Nathalia Jereissati – Advogada da MARTIFER RENOVÁVEIS DO BRASIL

---

A Martifer é um grupo multinacional, sediado em Oliveira de Frades (Portugal), que emprega mais de 3.000 colaboradores, com atividade centrada nos setores da construção metálica e das energias renováveis.

A Martifer iniciou suas atividades em 1990 no setor das estruturas metálicas. Em 2004, a empresa entrou no negócio das renováveis aproveitando o know-how da atividade de construção metálica para desenvolver a área dos equipamentos para a energia. A aposta no sector energético prosseguiu com a área da geração eléctrica.

A Martifer é líder no mercado ibérico da construção metálica, com um conjunto de 18 fábricas, 11 das quais em Portugal e as restantes espalhadas pelo mundo e ambiciona atingir uma posição de liderança em outros mercados seleccionados, nomeadamente Europa Central e Angola.

No setor das energias renováveis, a Martifer quer afirmar-se como produtor integrado de soluções chave-na-mão para os segmentos eólico e solar. Ainda no campo das energias renováveis, a Martifer atua como empreendedor em projetos de geração elétrica, gerindo um conjunto de participações em projetos em diferentes estágios de desenvolvimento. Através da Martifer Renewables, o Grupo desenvolve um conjunto de ativos de Geração Eléctrica a partir de fontes de energia renováveis seguindo uma estratégia de diversificação multi-tecnológica e multi-geográfica, beneficiando da atividade da Equipamentos para Energia. O Grupo desenvolve projetos de geração de energia através das tecnologias solar, hídrica, eólica e maremotriz. O Grupo tem em operação e desenvolvimento um vasto conjunto de projectos em países como Portugal, Espanha, Alemanha, Polónia, Roménia, Estados Unidos, Austrália e Brasil.

A Martifer SGPS, SA é a holding do Grupo e está cotada na Euronext Lisbon desde Junho de 2007. Em 2008, os proveitos operacionais das suas atividades nucleares ascenderam a 650 milhões de euros. A estrutura accionista é formada pelos sócios fundadores, através da I’M SGPS, S.A., e pelo Grupo Mota-Engil, juntos controlam quase 80% do capital da empresa. A internacionalização do Grupo Martifer fez sempre parte integrante das preocupações estratégicas da empresa. Este processo, teve início em 1999, com a criação da Martifer Espanha. Hoje, a Martifer está presente em mais de 20 países e 5 continentes obtendo em 2008, 902 milhões de euros de receitas operacionais consolidadas.

No Brasil, a Martifer Renováveis assegurou 217,8 MW em projetos eólicos no Leilão de Energia de reserva (A-3) no Brasil, que teve lugar em dezembro de 2009. Os projetos, localizados no Ceará e Rio Grande do Norte, devem começar a ser construídos em 2010, estando a sua conclusão prevista para 2012. O preço inicial do leilão para a tarifa era de 189 reais (73,5 euros) e a Martifer obteve tarifas entre 151 e 152,7 reais (58,7 e 59,4 euros).

Os projetos da Martifer a serem instalados no RN são dois parques eólicos totalizando 50,4 MW e um investimento total em torno de 252 milhões de reais, localizados no município de Areia Branca.

Mais informações no link www.martifer.com

domingo, 21 de fevereiro de 2010

Consulta Pública (via twitter/blog): Workshop sobre a China

A Secretaria de Energia e Assuntos Internacionais do Governo do Estado do Rio Grande do Norte está realizando consulta pública (via twitter/blog) quanto ao interesse das praças do RN na realização do Workshop "Identificação de Oportunidades no Mercado Chinês" em Natal.

O
público-alvo seriam integrantes das áreas de Desenvolvimento Econômico (Agricultura, Turismo, Indústria, Comércio e Serviços), Planejamento e Finanças, Energia e Relações Internacionais dos governos estadual e de municípios, empresários e dirigentes de entidades empresariais do RN.

A
data provável seria durante o mês de março, tendo em vista a realização de importantes feiras de negócios na China nos meses subsequentes.

Caso haja manifestações de interesse, iremos viabilizar a vinda de dois especialistas no assunto para apresentar,
gratuitamente, em local a ser definido.

MANDE SUA OPINIÃO SOBRE O INTERESSE E A PERTINÊNCIA DESTA INICIATIVA - via twitter/jpprates ou postando comentário a este post aqui.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Tribuna do Norte: Estado quer criar dois novos polos para atrair indústrias

Emanuel Amaral
Depois de ter sido o estado com maior número de usinas, de megawatts comercializados e com melhor preço no leilão de energia eólica, realizado em dezembro do ano passado, o Rio Grande do Norte vem concentrando esforços em atrair indústrias de aerogeradores para o seu território, além de promover reuniões técnicas com cada uma das seis empresas que irão gerar a energia em solo potiguar. De acordo com o secretário estadual de energia e assuntos internacionais, Jean-Paul Prates, as medidas visam garantir que os projetos saiam efetivamente do papel e o RN possa começar a gerar energia eólica em 2012.

O secretário diz estar empenhado em trazer fabricantes dos equipamentos que serão implantados nos parques eólicos, sugerindo inclusive a criação de dois polos industriais de energia no estado. “Queremos indústrias de equipamentos para geração de energia eólica e produção de petróleo. Já sabemos que será necessário implantar, pelo menos, centros de manutenção das turbinas”, enfatiza.

Para Prates, é inviável que o Nordeste continue sendo abastecido por empresas sediadas em São Paulo, uma vez que os equipamentos são transportados por caminhões. Jean-Paul diz que são necessárias quatro carretas para transportar cada torre de um aerogerador, mais três para as pás e uma para a turbina, o que totaliza oito carretas para cada equipamento de geração da energia. “Se formos instalar 100 aerogeradores aqui no estado, receberemos 800 carretas, que precisam vir acompanhadas de alguns veículos com a função de batedores. É muito gasto de combustível fóssil, para gerar energia limpa”, lamenta.

Jean-Paul Prates revela ainda que reuniões técnicas com cada uma das seis empresas que irão gerar energia no RN começaram a ocorrer em janeiro passado, devendo continuar até março deste ano.


http://tribunadonorte.com.br/noticia/estado-quer-criar-dois-novos-polos-para-atrair-industrias/140077

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Brasil Energia / Energia Hoje destaca ações do RN


O site especializado em energia ENERGIA HOJE, ligado à mais importante revista setorial brasileira, a Revista Brasil Energia, destacou as iniciativas do Estado do Rio Grande do Norte quanto ao desenvolvimento de parques eólicos e atração de fábricas e centros de manutenção técnica. Acompanhem no link http://www.energiahoje.com/online/eletrica/eolica-e-solar/2010/02/08/403815/rn-tera-pacote-para-eolica.html ou reproduzido abaixo:

RN terá pacote para eólicas
por Antonio Carlos Gil (Energia Hoje/Brasil Energia)


O governo do Rio Grande do Norte prepara um pacote de incentivos ao desenvolvimento da energia eólica no estado. As medidas incluem desoneração fiscal, agilidade em licenciamentos ambientais, melhoria de estrutura viária, investimento em logística portuária, convênio interestadual e uma linha de transmissão para escoar a produção das usinas.

A isenção ou redução de impostos deve atrair fabricantes de equipamentos para o segmento, aponta o secretário de Energia e Assuntos Internacionais (Senint) do RN, Jean Paul Prates. A dinamarquesa Vestas já confirmou a instalação de um centro de manutenção no estado e a Wobben Windpower acena com iniciativa semelhante.

Outra ideia é montar dentro da SENINT um núcleo do Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (IDEMA) para agilizar o licenciamento ambiental dos empreendimentos. Na mesma linha, Prates explica que há um trabalho voltado para mitigação de questões fundiárias devido à forte especulação imobiliária. Está na pauta um pré-zoneamento destinado a reservar áreas para instalação de parques eólicos, evitando assim conflitos com outras atividades.

Em parceria com o governo federal e municípios, serão feitas melhorias em estradas que atendem a região litorânea do estado e que hoje se encontram em situação precária, dificultando o deslocamento de equipamentos pesados em direção aos sites dos parques eólicos.

Há estudos também para usar o porto de Pecém para desembarque de equipamentos, até que a infraestrutura de um terminal no Porto do Mangue esteja pronta. A mesma estrutura poderá ser útil à Petrobras em futuras obras de expansão da refinaria de Guamaré. “Independentemente dessa obra estamos avaliando a possibilidade de tocar junto com o governo do Ceará a implantação de um Pólo Industrial Bilateral Eólico (PIBE) na divisa entre os dois estados, gerando emprego numa região de poucas oportunidades”, disse o secretário.

Já o projeto da LT seria uma alternativa às estações coletoras. O circuito iria de Russas a Natal, interligando o Ceará ao RN, com extensão de 400 km, e se conectaria às eólicas vencedoras do leilão de reserva. “Se não for possível viabilizar, também há alternativa de construção de um arco coletor com recursos privados”.

Jean Paul Prates participou do primeiro dia de atividades do Wind Forum 2010, realização do IQPC. (A.C.S.)

Artigo "Pré-Sal e o Nordeste" gera comentários preconceituosos contra o Nordeste

Em artigo assinado para O Globo, postado durante o fim de semana, o Secretário de Energia do Estado, Jean-Paul Prates, defendeu a democratização das receitas governamentais que advirão do pré-sal e expôs alguns pontos de vista a partir da ótica norte-riograndense sobre o assunto. A íntegra do artigo encontra-se em http://oglobo.globo.com/blogs/petroleo/posts/2010/02/07/o-pre-sal-o-nordeste-264304.asp.

No entanto, surprende a quantidade e agressividade de comentários anti-Nordeste que surgiram ao pé da versão online do artigo. Com o objetivo de conscientizar a nossa opinião pública sobre o que alguns chegam a pensar (e, pior, escrever) sobre o Nordeste, fizemos uma seleção dos maiores absurdos (abaixo), para quem não conseguiu finalizar o cadastro gratuito do Globo Online. Observem:


"Até nisso nós do Rio vamos sustentar esses Nordestinos? Já não basta eles virem fazerem dúzias de filhos e destruirem as florestas? O posso Nordestino tem de tomar é vergonha na cara e voltar para a terra deles!!"
Nome: Altamiro Daniel costa neto
Apelido: Mumm-Raa
Email: danielcostanetorj@gmail.com

RESPOSTA DE JPP: Desculpe, mas vou deixar essa pra outros nordestinos responderem... Em matéria de lugar-comum e preconceito, este comentário é medalha de ouro! Pena levar a discussão para este nível.


"O petróleo do Pré-Sal só vai servir mesmo para encher mais os bolsos dos políticos nordestinos. Se a política é dividir riquezas, porque então não dividimos os minérios do Pará e Amazonas, o ferro de Minas e o carvão do sul? Já chega do restante do Brasil carregar o nordeste nas costas. Gerem suas próprias riquezas com trabalho e de preferência votando em políticos honestos e não nos coronéis de sempre. Chega de roubarem o Rio de Janeiro!
Já que o RG do Norte é líder em exploração terrestre, que tal dividir os royalts com todo o Brasil, como o Rio de Janeiro está sendo obrigado a fazer? E ainda tem a lata de vir a jornal carioca fazendo propaganda do seu estado? Fala sério!!!!!!"
Nome: Fatima Pinto
Apelido: seucreisson
Email: fativaz.br@gmail.com

RESPOSTA DE JPP: Primeiro tente assinar embaixo do que afirma com o próprio nome, como faço. Aí debateremos. Seu email é o mesmo de outro apelido e nome próprio acima... Quem é, afinal?


"Você é que não é ninguém para vir a um jornal carioca fazer propaganda da sua "políitica" e dos seu estado. Nunca antes havia lido seus blogs e foi a primeira vez q me deparo com sua opiniões infelizes. Até sua resposta aos comentário foi pouquíssimo fundamentada e bastante grosseira. Se manca, cara!"
Nome: Fatima Pinto
Apelido: seucreisson
Email: fativaz.br@gmail.com

RESPOSTA DE JPP: Não considero ter sido grosseiro em nenhum momento, ao contrário de alguns comentários como o seu. Mas, como disse, não debato com apócrifos. Quem se esconde por trás de apelidos e nomes falsos pode assacar o que quiser e não ter limites, inclusive quanto ao preconceito e à generalização.


"Vc quer é Roubar o dinheiro do petróleo do RJ! é muito fácil receber o dim dim sem ter q fazer nada...Mas o Nordeste é campeão em fazer isso, não produz nada de relevante p/ o país mas sempre se faz de coitadinho e exige um bolo de dinheiro p/ os seus políticos picaretas."
Nome: Izadora Borges
Apelido:
Email: zandor702@yahoo.com.br

RESPOSTA DE JPP: Cara Izadora. Como assim, "roubar o dinheiro do petróleo do RJ"? O petróleo é do RJ mesmo? Segundo a CF, não é bem assim. Aliás, saiba q, em 1997, qdo autoramos o Decreto que concedeu este benefício do jeito q é hoje, fizemos uma tremenda ginástica p/justificar o royalty como receita originária para o RJ e outros estados confrontantes, pois havia entendimentos de q NADA lhes seria devido em função do petróleo ser da União e localizar-se em águas FEDERAIS. Mesmo assim, nos inspiramos em paralelos de outros países e na lógica da compensação pela premência do E&P e do esgotamento das reservas para reservar maioria da repartição de receitas governamentais para os estados e municípios confrontantes - o q continuará valendo, inclusive para o Pré-Sal. Qto a "receber sem fazer nada", o que o RJ fez q o resto do Brasil não fez, para chegarmos ao Pré-Sal? Que eu saiba a Petrobras tem colaboradores, gestores e capital advindos de todo o Brasil... Sobre o "NE não produzir nada de relevante" prefiro nem comentar...


"Se o Pré-Sal fosse encontrado em litoral nordestino, duvido muito que os políticos de lá iriam querer dividir os royalties com o restante do Brasil. Ganância e hipocrisia são os unicos adjetivos que vejo para essa roubalheira que estão fazendo com o Rio."
Nome: Fatima Vaz
Apelido: facvp
Email: facvp@yahoo.com.br

RESPOSTA DE JPP: Calma... Lembre-se de que durante vários anos, antes das descobertas na Bacia de Campos, a Bahia e o RN produziram para o Brasil e sequer recebiam royalty algum.


"A legislação tributária prejudica o Rio de Janeiro, na cobrança do ICMS, que no caso do petróleo é cobrado no destino e não na origem, sendo aliás, o único produto em que isso acontece. Até nisso o Rio é garfado!"
Nome: Cris Lemos
Apelido: Lmos
Email: fati.vaz@hotmail.com

RESPOSTA DE JPP: O RN, a BA, SE, AL, ES, AM também estão na mesma situação que o RJ quanto a isso... Isso tem dedo de SP, MG, PR e RS - não do NE.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

RN é destaque no Wind Forum Brazil 2010, em São Paulo

O Secretário de Energia e Assuntos Internacionais do Governo do Estado do Rio Grande do Norte, Jean-Paul Prates, participou ontem (2aF, 8/fev) da sessão plenária de abertura do "Wind Forum Brazil 2010", que reuniu mais de 400 empreendedores, fornecedores e especialistas do setor eólico nacional no Centro de Convenções do Anhembi, em São Paulo.

O convite ao secretário potiguar, único representante das administrações estaduais a falar no evento, deu destaque especial à gestão energética do Rio Grande do Norte, ressaltando a rápida instalação de capacidade de geração em geral, e a liderança nacional na implantação de novos projetos - a partir do Leilão Federal de dezembro e da viabilização do primeiro contrato de venda de energia eólica no mercado livre.

Jean-Paul Prates expôs aos conferencistas as ações que levaram o RN a ser o líder em projetos vencedores no Leilão Federal de Energia Eólica, realizado em dezembro passado. E explicou os próximos passos que o Governo do Estado seguirá para assegurar a implantação dos parques bem como a atração de fornecedores e fabricantes de equipamentos para o Estado. Outro aspecto salientado pelo Secretário de Energia foi o conjunto de ações relativas à capacitação, recrutamento e emprego de mão-de-obra local para as obras e para as operações futuras.

Os empreendedores eólicos demonstraram grande interesse pelas iniciativas do Governo do Estado no sentido de racionalizar o procedimento de licenciamentos das obras e pré-zonear as áreas para os futuros leilões. O Secretário confirmou que a Secretaria de Energia e o IDEMA atuarão em conjunto na análise técnica, econômica e ambiental dos projetos, com vistas a assegurar a boa condução das atividades de implantação dos parques. Também ratificou ser intenção da gestão estadual realizar o pré-zoneamento de áreas para evitar a sobreposição de projetos (conforme recomendação da própria ANEEL) e a especulação com terras não-propícias ou não prioritárias na sequência de projetos a serem localizados no Estado. "O pré-zoneamento, a partir de critérios técnicos, estratégicos e ambientais, evitará frustração de expectativas em momentos mais adiantados do empreendimento. Vamos saber de ante-mão onde o Estado deseja e onde não deseja instalar parques eólicos", explicou Prates.

Além do secretário potiguar, a mesa de abertura contou também com as palestras do Presidente do Conselho da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE, a entidade responsável pela aquisição da energia dos leilões federais), Antônio Machado; do Diretor de Estudos Econômicos da EPE, Juarez Castrillon; do Secretário Executivo da ABEEÓLICA, Pedro Perrelli; e do Deputado Federal e Presidente da Comissão Especial de Energia Eólica, Rodrigo Rocha Loures (PMDB-PR) e a mediação do Presidente da Wobben Wind Power, Pedro Vial.

Durante a tarde, o Secretário manteve diversos encontros com fabricantes de turbinas, torres, pás e outros equipamentos e serviços com vistas a convidá-los a analisar o RN como alternativa viável e atrativa para sediar operações regionais: "Muito em breve, teremos boas notícias sobre projetos de fabricantes de equipamentos se estebelelecendo no Rio Grande do Norte, multiplicando ainda mais o efeito das conquistas já representadas pelos parques viabilizados no leilão", assevera.

O Ministério de Minas e Energia publicou, através da Portaria Ministerial no. 55, as diretrizes básicas para a realização do próximo leilão de energia de reserva (que incluirá eólica, mas também PCHs e biomassa). O leilão tem prazo para ocorrer até julho/2010, e as inscrições terão prazo até dia 08/março.

O Governo do Estado deverá anunciar, ainda este mês, a atualização do Cadastro Estadual de Projetos Eólicos (CEPE) e lançar o Cadastro de Investidores em Projetos Eólicos (CIPE) visando a aproximar projetos e investidores, e atualizar as informações sobre os projetos em concepção no Estado.

Fotos: Jaime Oide | "Wind Forum Brazil 2010" é um evento organizado pelo IQPC.
.