titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Presidente Lula na Refinaria Potiguar Clara Camarão

Nesta quinta-feira, dia 19 de novembro (Dia da Bandeira), o Presidente Lula visitará as obras de implantação e expansão da mais nova unidade de refino da Petrobras no Brasil: a REFINARIA POTIGUAR CLARA CAMARÃO, em Guamaré, município do Litoral Norte do Estado do Rio Grande do Norte.

Esta é uma conquista importante para os norte-riograndenses, em que foi preponderante a parceria e o bom entendimento do Presidente Lula, da Governadora Wilma de Faria, da Ministra Dilma Rousseff (desde a sua gestão à frente do Ministério de Minas e Energia), e principalmente da PETROBRAS, empresa que o Estado se orgulha de hospedar em seu território, e que faz dele o maior produtor de petróleo terrestre do Brasil.

Como todas as refinarias da Petrobras, a Refinaria Clara Camarão poderá refinar tanto petróleo pesado da Bacia de Campos como petróleo leve do pré-sal. Entretanto, nesta primeira fase, o petróleo que será processado pela refinaria será aquele produzido no próprio estado do Rio Grande do Norte.

A capacidade inaugural de processamento da RPCC será de 30 mil barris de petróleo por dia (podendo alcançar 35 mil barris/dia já a partir de melhoramentos a serem introduzidos nas unidades já existentes durante as obras entre 2009-2010). Além disso, a RPCC produzirá 4,5 mil barris diários de gasolina, o que tornará o estado auto-suficiente em relação a este produto, e 11.700 m3 de GLP, a partir de líquidos de gás natural. As UPGNs têm capacidade de processamento para os 2,5Nm3/d produzidos na Bacia Potiguar.

Os planos de expansão e aprimoramento da unidade, a partir de 2012, projetam uma capacidade futura de pelo menos 60 mil barris de petróleo por dia, a depender da retomada da curva ascendente de produção dos campos terrestres (programada para 2010) e do comportamento dos mercados regionais a serem abastecidos.

A partir do equacionamento da questão de acesso marítimo em maior escala, a RPCC poderá até ser expandida, numa terceira fase, para atingir os 120 mil barris/dia de processamento, que garantiriam a máxima agregação local de valor a todo o petróleo produzido no RN.

Desde a sua implantação, o Pólo de Guamaré recebeu um montante de investimentos de US$ 1,65 bilhão.

A Refinaria Clara Camarão resultará da integração e eficientização das unidades pré-existentes somada ao investimento na ampliação e construção de novas instalações, cujo investimento será, nesta primeira fase (até 2010), de US$ 191 milhões, totalizando investimento total histórico de US$ 1,84 bilhão.

Finalizadas as obras desta primeira fase (OUT/2010), a Clara Camarão contará com um novo quadro de bóias com capacidade para atracar navios de até 120 mil toneladas de porte bruto (TPB) num dos quadros localizado a 28km da costa e de até 60 mil TPB em outro localizado a 22km da costa.

Assim sendo, o Rio Grande do Norte passará a dispor de uma refinaria moderna, que produzirá após a conclusão desta fase: 18 mil m3 de gasolina, 42 mil m3 de diesel, 7.500 m3 de QAV, 11.700 toneladas de GLP e 3 mil m3 de nafta petroquímica.

Homenagem a Clara Camarão, índia brasileira que liderou um grupo de nativas na luta contra os holandeses durante a colonização, esta será a primeira refinaria da Petrobras que recebe nome de mulher. Clara Camarão comandou um batalhão feminino que teve atuação decisiva na batalha ocorrida na cidade de Porto Calvo em 1637.

A Clara Camarão é uma das cinco unidades de refino projetadas pela Petrobras para elevar sua produção em 1,2 milhões de barris/dia até 2015.

A capacidade de refino da Petrobras no Brasil é de 1,9 milhões de barris/dia, volume que é superior à demanda nacional de derivados, atualmente em torno de 1,8 milhão de barris/dia.

Com isso a Petrobras terá capacidade excedente de derivados, principalmente óleo diesel de alta qualidade, para exportação.

Nenhum comentário:

.