titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

segunda-feira, 27 de abril de 2009

Petrobras confirma implantação de planta industrial de biodiesel no RN

A Petrobras vai instalar uma planta industrial com capacidade para produzir 20 mil toneladas/ano de biodiesel no pólo petrolífero de Guamaré. A confirmação ocorreu durante encontro realizado entre a diretoria da empresa e o secretário de Energia e Assuntos Internacionais do Rio Grande do Norte, Jean-Paul Prates, na sede da estatal, no Rio de Janeiro. Durante a reunião ficou acertado que o termo de compromisso com o Governo do Estado vai ser assinado na primeira quinzena de maio, quando será divulgado o cronograma de obras da planta industrial. A unidade garantirá ao RN a auto-suficiência na produção do combustível.

Segundo Jean-Paul Prates, a Petrobras informou que a planta será construída em dois módulos, sendo o primeiro com capacidade para produzir 9.000 toneladas de biodiesel por ano, previsto para ficar pronto em setembro de 2010. O segundo módulo industrial produzirá mais 11 mil toneladas/ano de biodiesel a partir de 2011, totalizando 20 mil toneladas/ano, volume suficiente para atender toda a demanda local pelo combustível.

O complexo industrial de Guamaré já dispõe de duas unidades experimentais de biodiesel, A UEB-1 (Unidade Experimental de Biodiesel), que produz biodiesel a partir do óleo vegetal desde janeiro de 2005, e a UEB-2, que foi inaugurada em 2006 para o processamento direto a partir de sementes das oleaginosas. Com a instalação da planta, o Rio Grande do Norte passará a produzir o combustível em escala industrial, saindo da condição de importador para auto-suficiente na produção de biodiesel.

A planta de Guamaré vai permitir a produção de Biodiesel em nível B5, óleo diesel convencional com 5% de biodiesel em sua composição, conforme determina a legislação brasileira para os próximos anos. "Estamos, passo a passo, construindo a auto-suficiência do Estado em refino, gás e biodiesel, ficando cada vez mais fortes na área energética", destaca Jean-Paul Prates.

Nenhum comentário:

.