titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Rio Grande do Norte destaque na Bloomberg TV

Em entrevista exclusiva à Bloomberg TV, gravada em São Paulo nesta terça, o Secretário de Energia e Assuntos Internacionais, Jean-Paul Prates, afirmou que o Estado tem se preparado para a nova era da Energia Local, em substituição à Era do Petróleo. Ele citou o interesse dos investidores nacionais e internacionais no potencial de energias renováveis e biocombustíveis no Estado e salientou a tradicional vocação do RN como provedor energético, adquirida em 3 décadas de produção de petróleo e gás proeminente no cenário nacional. Ele analisou também as consequencias da atual baixa dos preços do barril de petróleo nos investimentos em energias renováveis.

"A questão do preço do petróleo estar baixo hoje, que poderia ser um fator de amedrontamento, é relativa porque sabe-se que o setor de petróleo vive ciclicamente afetado por periodos de baixa e de alta. Da mesma forma que nós tivemos 10 anos praticamente de alta sustentada, que ajudou as energias renováveis a consolidarem sua viabilidade técnica e econômica, agora temos que conviver com um período de baixa até 2010 ou 2011. Mas 3 anos de barril a 40 dólares não podem matar os projetos, pois a Humanidade sabe que o ciclo voltará; algum dia o petróleo voltará a ser caro de novo e a tendência é que ele permaneça cada vez mais tempo caro e cada vez menos tempo, barato." afirmou Prates.

O canal Bloomberg TV (disponível nas principais operadoras de TV a cabo ou digital do País) é referência maior dos analistas financeiros, investidores e acionistas militantes do mercado brasileiro e internacional. Michael Bloomberg, dono do canal que também se integra a um conglomerado de consultoria financeira e bancos estatísticos dos mercados mundiais, é o atual prefeito de Nova York.

terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Secretário visita fábrica de torres eólicas e alinhava segunda planta no RN.

O Secretário de Energia e Assuntos Internacionais visitou, na tarde desta terça-feira, em Cubatão-SP, a fábrica de torres para aerogeradores da SAWE (South America Wind Energy), empresa formada a partir da fusão da Engebasa e da IVAPE – GICP, dedicada exclusivamente ao desenvolvimento e fabricação de torres eólicas, fundações, chassis e seus componentes.

A empresa conta com duas fábricas complementares: uma para os internos e peças leves, localizada em São Paulo, e a parte estrutural em Cubatão, junto ao porto da Cosipa, estrategicamente posicionado para a exportação marítima de grandes estruturas. Combinadas, as duas fábricas podem atender a fabricação de torres eólicas, fundações, chassis e seus componentes para a América do Sul, Europa e Costa Leste dos Estados Unidos. A capacidade atual está em 250 torres de aço por ano, com alturas até 80 metros, e peso de 200 toneladas.

Após a visita, durante a qual recebeu informações sobre o atual contexto técnico-tecnológico e financeiro da empresa, o Secretário reuniu-se com a diretoria e acionistas da empresa em São Paulo, e convidou os executivos a vir a Natal-RN para explorar a possibilidade de estabelecer uma fábrica no Estado, com vistas a atender a potencial demanda por torres estimada em função dos investimentos indicados pelo Cadastro Eólico. A vinda a Natal está programada para a semana do dia 10 de março, e objetivará definir as prioridades para a efetivação do projeto de implantação de uma indústria para atender a demanda da Região Nordeste Setentrional (PE, PB, RN e CE).

Vista aérea (helicóptero) da fábrica da SAWE em Cubatão.

Com o Diretor Executivo, Pedro Cunha, um operador de solda e o Diretor Técnico José Quina

Projeto da fábrica a ser construída no Nordeste, provavelmente no RN.

Antes da decolagem para o regresso, pane de bateria no helicóptero exigiu participação dos
caminhoneiros (sic!) que aguardavam carga no pátio da Cosipa para religar o voador.

Após o susto, retorno seguro de Cubatão a São Paulo,
apesar de denso nevoeiro na Serra da Cantareira.

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2009

Presença no "Wind Forum Brasil 2009", São Paulo.

O Secretário de Energia e Assuntos Internacionais do Rio Grande do Norte, Jean-Paul Prates, participou esta manhã da plenária de abertura do Wind Forum Brasil 2009, realizado em São Paulo, no Anhembi Holiday Inn. A mesa contou ainda com a presença de Roberto Smith, Presidente, BNB – BANCO DO NORDESTE; Amílcar Guerreiro, Diretor de Assuntos Econômicos e Energéticos da EPE – EMPRESA DE PESQUISA ENERGÉTICA; Sebastião Florentino, Assistente do Diretor de Engenharia da ELETROBRAS; Mark Argar, Diretor Geral da PACIFIC HYDRO, do Deputado Federal Paulo Teixeira (PT-SP); Samira Sana Fernandes de Sousa, Coordenadora Geral de Sustentabilidade Ambiental do Setor Energético do MME - MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA; Aymoré de Castro Alvim Filho, Especialista em Regulação - Coordenador de Regulação do PROINFA da ANEEL – AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA; Laura Porto, Diretora de Novos Negócios da IBERDROLA e de Lauro Fiúza Júnior, Presidente da ABEEÓLICA – ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE ENERGIA EÓLICA.

O tema central dos debates foi o aspecto regulatório e o próximo leilão a ser realizado pelo Governo Federal, cuja primeira portaria já se encontra em consulta pública.

Na sua palestra, o Secretário destacou as ações que o Governo do Estado vem realizando para organizar o grande afluxo de interesse em investimentos, esperado para as regiões de maior potencial. O lançamento do Cadastro Estadual de Projetos Eólicos (CEPE) foi elogiado pelos investidores como sendo uma forma ideal de filtrar os projetos que merecem a atenção e o acompanhamento do Governo.

Também foi comentada como uma iniciativa proativa, de parte do Governo do RN, o fato de a Secretaria de Energia se dispor a coordenar a organização de um consórcio para a construção e operação de uma linha de transmissão que permeie a área de maior potencial eólico, hoje carente de infra-estrutura de escoamento.

Os operadores também concordaram com a preocupação do Secretário com a especulação imobiliária exacerbada e desproporcional - e se dispuseram a participar de workshop estadual com a presença das associações a serem formadas pelos proprietários de terras com potencial eólico.

O evento continua pela tarde e nesta terça pela manhã. Hoje e amanhã, pela tarde, o Secretário se reúne com alguns dos participantes interessados em investimentos no RN. Cinco grupos empresariais não presentes no Estados agendaram reuniões, bem como outros quatro que já possuem projetos cadastrados.

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

Governo alerta para especulação junto a proprietários de terras no RN

O Governo do Estado alerta os proprietários de terras, especialmente nas regiões do Litoral, do Mato Grande e da Serra de Santana, contra a ação de especuladores imobiliários. Denúncias encaminhadas à Secretaria Estadual de Energia, por meio do Cadastro Eólico, apontam que supostos representantes de grupos empresariais e falsos representantes do Governo do Estado ou do governo federal estão procurando donos de terrenos dessas localidades com vistas a promover a assinatura de contratos para a implantação de parques eólicos em tais imóveis.

O secretário estadual de Energia e Assuntos Internacionais, Jean-Paul Prates, informa que nenhum órgão ou pessoa ligada ao Governo do Estado ou ao governo federal, nem mesmo a suas empresas estatais ou quaisquer entidades da Administração Direta ou Indireta, tem a função de promover, induzir ou negociar contratos privados em nome ou por conta de supostos investidores privados. "É dever do governo, no seu intuito de combater a especulação imobiliária e a exploração da boa fé dos agricultores e proprietários de terras do Estado e objetivando coibir uma futura confusão fundiária e regulatória capaz de impedir o aproveitamento do enorme potencial eólico do Estado e suas múltiplas conseqüências positivas para a nossa economia", destaca o secretário.

Jean-Paul Prates ressalta que ninguém deve sentir-se compelido ou obrigado a assinar qualquer documento de cessão de direitos ou uso da terra com qualquer empresa, agente ou entidade por influência ou autoridade de qualquer pessoa que se diga ou se apresente com credenciais governamentais. "Cada proprietário de terra é inteiramente livre para dispor de sua propriedade e contratar com quem quiser. Não existe nenhuma ação ou programa governamental, estadual ou federal, que obrigue um proprietário de terra a assinar cessão de direitos ou uso da sua terra sem que se lhe satisfaçam condições remuneratórias, sequer por meio de desapropriação ou expropriação", assegura.

Segundo o secretário, um parque eólico demanda investimentos da ordem de R$ 5 milhões por Megawatt (MW) instalado. Isso significa que um projeto que se proponha gerar 250MW custará mais de um bilhão de reais para se tornar realidade. "Algumas pessoas ou entidades com quem os proprietários de terra vêm se relacionando não apresentam condições financeiras e institucionais para realizar tais investimentos, podendo tão-somente ser intermediárias e especuladoras que irão simplesmente "vender" o contrato que assinaram com eles, objetivando tão somente seu lucro imediato próprio, sem pensar no proprietário, muito menos no real desenvolvimento do potencial eólico do imóvel", diz.

A preocupação do Governo do Estado é que, ainda este semestre, o governo federal deve abrir novo leilão para implantação de usinas eólicas em todo o país. A orientação governamental é que todos os proprietários de terra com potencial eólico se reúnam em associações ou cooperativas que consigam efetivar decisões e ações integradas, respaldadas por assessorias jurídicas e técnicas confiáveis, para evitar as fraudes, especulações e espoliações atualmente denunciadas. Para tanto, está oferecendo apoio da Secretaria de Energia, que dará as informações necessárias.

CADASTRO

Lançado há pouco mais de um mês, o Cadastro Estadual de Projetos Eólicos registra 31 projetos potenciais, além dos dois atualmente em operação no Estado. A estimativa total de potência instalada, somados os novos projetos cadastrados até hoje, já alcança um total de 1400 Megawatts (MW). Se consolidados esses projetos contribuirão decisivamente para que o Rio Grande do Norte saia da condição de importador para exportador de energia elétrica.

A Secretaria de Energia trabalha incessantemente pela melhoria das condições de competitividade do projetos potiguares tendo em vista que no Leilão Específico para Energia Eólica, que o MME e a ANEEL estão programando para o primeiro semestre deste ano, os projetos competirão nacionalmente entre si, conforme a melhor tarifa.

Os desafios do setor eólico no RN consistem principalmente na ausência de infra-estrutura de escoamento da energia e na desorganização fundiária. "Com o Cadastro Estadual de Projetos Eólicos, resolvemos o primeiro desafio que era o da informação desencontrada e inconsistente. Agora estamos voltando as atençõespara a organização de um consórcio empresarial para viabilizar uma linha de transmissão coletiva que permeie as áreas de maior potencial e, ao mesmo tempo, tentando esclarecer e organizar as relações dos investidores com os proprietários de terra com potencial eólico", revela o Secretário.

EVENTO INTERNACIONAL DE ENERGIA EÓLICA

Na próxima segunda-feira, Jean-Paul Prates será o conferencista de abertura do evento internacional WIND FORUM 2009 (www.iqpc.com/br/wind), a realizar-se no Anhembi, São Paulo. Também participarão membros do Ministério de Minas e Energia, da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), da ANEEL, da Câmara dos Deputados, entidades setoriais como a ABEÓLICA, ABRACE, ABRAGE e de empresas investidoras nacionais e internacionais (e.g. Iberdrola, Electricidade de Portugal, Pacific Hydro, Perenia, Banco InterAmericano de Desenvolvimento) além do presidente do IGEC International Green Energy Council.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Secretário de Energia e Presidente da AGN reúnem-se com diretor do BNDES, no Rio.

O Secretário de Energia e Assuntos Internacionais do Estado do Rio Grande do Norte, Jean-Paul Prates, juntamente com o Presidente da Agência de Fomento do Estado (AGN), Nelson Tavares, estiveram reunidos esta tarde com o Diretor do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Eduardo Rath Fingerl para apresentar o esboço final do Programa Estadual de Apoio ao Fornecedor Local das Indústrias de Petróleo, Gás e Energia.  

Os representantes do Estado desenvolveram também o tema do Fundo de Financiamento para Fornecedores Locais, em elaboração pela AGN. Participaram também da reunião o Chefe do Departamento de Mercado de Capitais do Banco, Sergio Guimarães, e os advisors do Fundo.

O diretor Rath Fingerl demonstrou grande interesse em participar do fundo e solicitou que as equipes dos dois lados se conectem nas próximas duas semanas para detalhar as condições de participação, juntamente com BNB e Banco do Brasil.

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Em nome da Governadora Wilma de Faria, recebendo o Embaixador norte-americano.

O Secretário de Energia e Assuntos Internacionais, Jean-Paul Prates, esteve hoje à tarde recepcionando o Embaixador do Estados Unidos da América, Clifford Sobel, e a embaixatriz Barbara no Aeroporto Augusto Severo em nome da Governadora Wilma de Faria.

O embaixador encontra-se em Natal para, nesta quinta-feira, formalizar parcerias entre o Governo do Estado e a Embaixada dos Estados Unidos no Brasil para a realização de projetos nas áreas de segurança pública, geração de empregos, assistência médica, responsabilidade social e desenvolvimento do comércio local. O acordo será firmado nesta quarta-feira (11), às 10h30, na Secretaria Estadual de Planejamento (Seplan), no Centro Administrativo de Lagoa Nova, durante visita do embaixador norte-americano no Brasil, Clifford Sobel, à governadora Wilma de Faria.

Na pista do aeroporto e no hangar oficial, os dois conversaram sobre a construção de uma pauta comum de interessess no setor energético, entre o Governo norte-americano e o Governo do Estado do Rio Grande do Norte. Foram incluídos, para discussão mais detalhada posteriormente, o Centro de Tecnologia de Petróleo em Terra, os projetos de Energia Eólica e Solar e o Programa de Agroenergia do Estado. Além disso, o Secretário enfatizou a importancia de intercambios nas áreas de logística aero-portuária e portuária, principalmente em relação à regularidade e viabilidade de rotas aéreas e a possibilidade de investimentos diretos no Aeroporto de São Gonçalo do Amarante e nos empreendimentos portuários do Estado.

A embaixatriz revelou que há muito tempo o casal desejava conhecer o Rio Grande do Norte, de que ouviram falar em conversa com o Ministro Nelson Jobim.

O relacionamento entre EUA e o RN, além da conhecida componente histórica da época da II Grande Guerra, tem muitas complementaridades e interesses em comum, especialmente na esfera dos biocombustíveis e da energia renovável. Ficou combinada a sequência dos entendimentos entre a Secretaria de Energia e Assuntos Internacionais e a U.S. Trade & Development Agency (agência de fomento comercial do governo norte-americano), através da Gerente Executiva para América Latina e Caribe, Gabrielle Mandel, sediada em Washington.

Parabéns ao Assentamento Canudos!

Release de interesse e comentário abaixo:

Na próxima sexta-feira, 13, o Presidente Luis Inácio Lula da Silva virá ao Rio Grande do Norte e visitará o assentamento de Reforma Agrária Canudos, no município de Ceará Mirim, onde está localizado o Pólo de Tilapicultura do Mato Grande. Esse projeto faz parte de um programa institucional de extensão da Universidade Federal do Rio Grande do Norte, desenvolvido por professores e estudantes e coordenado pelo professor Deusimar Freire Brasil, do Departamento de Oceanografia e Limnologia. O Pólo de Tilapiculcultura surgiu há quatro anos com o propósito de gerar renda e oportunidades de trabalho para os moradores de várias comunidades rurais da região do Mato Grande. Atualmente, a comercialização do pescado (13 toneladas/mês) está sendo objeto de incubação pela INICIES – Incubadora de Iniciativas de Empreendimentos Econômicos Solidários da UFRN, coordenada pela Pró-Reitoria de Extensão (PROEX). Com acompanhamento técnico de professores e alunos da Universidade, o projeto foi assunto de 23 trabalhos de conclusão de curso e duas dissertações de mestrado. Lá são realizadas aulas teóricas e práticas dos cursos de Aqüicultura, Ciências Biológicas e Zootecnia da UFRN. O Pólo de Tilapicultura do Mato Grande conta com o apoio do Banco do Brasil, CNPq, FAEX, Fapern e outras entidades.

Publicamos o release acima para registrar o sucesso da iniciativa liderada por Livânia Frison que também inclui um Arranjo Produtivo Local (APL) com a cooperativa COPET para plantio de girassol e produção de óleo básico - matéria prima para biodiesel. O assentamento está incluído no Programa de Agroenergia do Estado. Além das tilápias, a COPET produz mel e óleo de girassol no assentamento de Canudos.

Parabéns a Livânia e sua equipe da COPET pelo sucesso e pelo trabalho duro. Um exemplo a ser seguido pelos demais núcleos inseridos no nosso PROAGE.

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2009

Combatendo a especulação nas "terras com vento"

Em reunião há poucos dias com o Secretário Estadual de Energia e Assuntos Internacionais, Jean-Paul Prates, um grupo de proprietários rurais da Serra de Santana preocupados com o assédio de pseudo-investidores, buscaram junto ao Secretário o apoio institucional para levar ao restante dos proprietários da região informações a respeito de projetos em andamento e cadastrados no Estado do Rio Grande do Norte para estar aptos a participarem do Leilão que será promovido pela ANEEL ainda neste primeiro semestre de 2009, segundo o MME-Ministério de Minas e Energia.

A preocupação dos proprietários de terras com potencial eólico é com a assinatura de contratos de arrendamento de suas propriedades, por parte de alguns, sem qualquer orientação, apenas com os dados unilateralmente fornecidos pelo grupo interessado no arrendamento da terra ou, pior, especuladores que pretendem apenas lucrar repassando contratos leoninos obtidos na premência e necessidade financeira dos agricultores e donos de terras.

O Secretário explicou aos visitantes que o assunto já vinha sendo tratado com muita urgência pelo Governo estadual, e que está finalizando nota de esclarecimento a ser publicada na imprensa e veiculada por rádios locais quanto aos riscos de assinar tais documentos sem buscar orientação confiável. Segundo o Secretário, "a especulação imobiliária e as fraudes e inseguranças burocráticas em relação às terras com potencial eólico podem matar as possibilidades concretas de termos no Estado o maior contingente de aerogeradores e geração eólica do Brasil, porque os investidores fugirão das ilusões ou inseguranças propiciadas pelos especuladores atualmente em ação junto aos proprietários de terra."

Outra medida acertada nesta reunião foi a de ser criada a Associação dos proprietários de Terras com potencial eólico da Serra de Santana, com vistas a dar legitimidade e mobilização ao conjunto de proprietários que pretendem evitar a "bolha" das terras com vento.
.