titulo

SustentHabilidade

Opinião e realizações

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

Sexta-feira de boas notícias para o RN junto à Petrobras.


Estivemos hoje em verdadeiro périplo a diversos segmentos da Petrobras (Sede/RJ) para (i) assegurar a continuidade dos compromissos de investimento no Estado diante do novo cenário de acesso a fontes financiadoras internacionais e nacionais ("crise") e (ii) retomar as tratativas quanto ao Termo de Compromisso que decorre do Protocolo assinado em Mossoró há dois meses. 


Iniciamos a manhã em reunião com o Presidente da Petrobras Biocombustíveis (Petrobras Bio), Alan Kardec Pinto. Acertado o seguinte: pré-agendada uma reunião de trabalho (para o dia 08 de dezembro, no Rio) entre a Diretoria da Petrobras Bio e representantes da Força Tarefa do PROAGE-RN para FINALIZAR os entendimentos quanto aos contratos de 5 anos, distribuição de sementes, logística de coleta e preço mínimo e máximo da compra da safra, viabilizando assim a cadeia produtiva e ida dos técnicos do programa ao campo para iniciar os trabalhos junto aos agricultores visando à distribuição de sementes até 15 de janeiro (Alto Oeste) e 15 de fevereiro (no resto do Estado); finalização dos estudos – pela Petrobras Bio e pelo Governo do Estado, para adaptação, aprimoramento e expansão das duas plantas experimentais de Guamaré com vistas a transformá-las em plantas de escala industrial com produção regular (atualmente apenas produzem por bateladas de teste), e formalização dos acertos acima referidos em Termo de Compromisso a ser assinado entre Petrobras Bio e Governo do Estado em data anterior ao final do ano de 2008 em Natal.


Seguimos para reunião com a Gerente Executiva Venina Velosa e a equipe técnica/jurídica do Diretor Paulo Roberto Costa (Refino e Abastecimento). A pauta foi basicamente (i) a confirmação dos investimentos em Guamaré – especialmente diante dos rumores de cortes e realocações por parte da empresa quanto aos então propalados investimentos em refinarias novas no Maranhao e no Ceará, e (ii) a continuidade e finalização do Termo de Compromisso entre Governo do Estado e Petrobras (Refino e Abastecimento).  A seguir, detalhamento: 


1. Inicialmente, com relação à confirmação dos investimentos: a Gerente Executiva, em nome do Diretor e da empresa, garantiu a manutenção integral dos compromissos de investimento para o RN. Assim sendo, depois de tanta celeuma, no final da história, a única refinaria que sairá oficial e fisicamente AGORA será mesmo a nossa em Guamaré.  


2. Passamos então a discutir a natureza dos aprimoramentos futuros (além da planta de gasolina, já acertada) quanto à expansão da Refinaria Potiguar Clara Camarão. Acertamos de incluir no Termo de Compromisso o estudo da viabilidade de instalação de um pólo glicero-químico ("petroquímica" com base em glicerina) e de uma planta de produção de fertilizantes. Além disso, ficarão em aberto, mas já consignadas no Termo, outras possibilidades de ampliação condicionadas à nossa viabilização de um Terminal Oceânico (PORTO), possibilitando inclusive que voltemos a nos credenciar a sediar uma refinaria Premium já que é provável o adiamento, mesmo que por pouco tempo, do início dos trabalhos quanto a CE e MA.   


3. Quanto ao Pólo Glicero-Químico especificamente, trata-se de proposição de nossa iniciativa – merecedora de detalhamento e análise técnica mais apurada – com base na observação de que o "quadrilátero de usinas de biodiesel" formado por Quixadá (CE), Montes Claros (MG), Candeias (BA) e, em breve (ver memorando sobre reunião com Petrobras Bio), Guamaré (RN) gerará uma quantidade significativa de GLICERINA (subproduto do processo de fabricação do biodiesel).  


Existem hoje modernos processos industriais de tratamento e aproveitamento da glicerina (cada vez mais abundante no mundo) para transformação dela em biogasolina, aditivos, fluidos de perfuração, base para tintas, vernizes, fármacos, cosméticos, conservantes e detergentes. A nossa idéia seria que a Refinaria de Guamaré receba TODO o excedente de glicerina gerado pelas 4 plantas de biodiesel da Petrobras no NE e ali instale um pólo industrial de processamento da mesma. Isto é que será estudado conjuntamente, quanto à viabilidade para futura implantação como parte da expansão da nossa refinaria.


4. Quanto à unidade industrial de fertilizantes, a Petrobras concordou em incluir no Termo de Compromisso a elaboração de análises técnico-econômicas, em conjunto com o  Governo do Estado, para integração de matérias primas disponíveis na região (gás natural, calcário/cálcio, sal/sódio e enxofre) com vistas a especificar, orçar e viabilizar o empreendimento – que poderá ter participação de sócios privados do setor.


5. Sobre a remoção da Base de Santos-Reis (Terminal de Dunas), ficou acordado que a Petrobras não apenas deverá efetuar tal remoção, restituindo a locação ao estado original como também comporá forças com o Governo do Estado e com a Prefeitura de Natal para a reorganização condigna das comunidades circunvizinhas (Brasilia Teimosa). Isso constará do Termo de Compromisso, cabendo a um GT detalhar as atribuições futuras de cada parte, cronogramas e métodos de implantação das medidas. 








6. Será incluído no Termo de Compromisso com a Área de Refino e Abastecimento, o compromisso da Petrobras de cooperar com o Governo do Estado no custeio e elaboração do Balanço Energético do Estado, que deverá também contar com a participação de outras empresas do setor de energia atuantes no Estado. Além disso, a empresa colaborará com a Secretaria de Energia na elaboração de estudos relativos ao mapeamento das cadeias produtivas (fornecedores de equipamentos, tecnologias, biocombustíveis).  


7. A cronologia da finalização do Termo de Compromisso será: obter o fechamento do equilíbrio tributário (incentivos x contra-partidas) com a SET-RN e a Petrobras até o próximo dia 06 de dezembro; fechar a minuta integral e submeter à aprovação da Diretoria da Petrobras impreterivelmente no dia 12 de dezembro e tudo pronto para assinatura do mesmo na semana de 17 de dezembro.


8. Por fim, acertamos como a possível data para INAUGURAÇÃO EFETIVA da refinaria a semana do dia 17 de dezembro, juntamente com a assinatura do TC e a efetivação do novo Gerente Geral.  



Fechando o dia intenso de reuniões e entendimentos com a Petrobras, registramos os principais pontos da reunião com a Diretora Graça Foster (Gás/Energia): 


1. O entendimento no sentido de finalizarmos um Termo de Compromisso específico relativo ao Gás/Energia reunindo dispositivos (assuntos decorrentes de Minuta de Protocolo deixada em aberto anteriormente) quanto a:

    (i) análise de viabilidade – conjuntamente com a Potigás, do Gasoduto do Seridó (interiorização do gás, já no percurso projetado para aproveitamento na eventual futura ampliação do Gasoduto Nordestão (vertente interior); 

    (ii) montagem, conjunta com o Governo do Estado, de um pacote de ações, investimentos e benefícios/incentivos visando à viabilização de um Pólo Ceramista que substitua o uso indiscriminado de lenha e a consequente e atual desertificação da região de Assu e Seridó;  

   (iii) busca do atendimento viável da geração térmica em território norte-riograndense, 

   (iv) análise da viabilidade e implementação de PCH na Barragem Armando Ribeiro Gonçalves, e

   (v) a viablização e instalação de um Parque Eólico nas condições e dimensões a discutir.


2. O início imediato de análises conjuntas entre Petrobras (Diretoria de Gas/Energia – GG Part E Desenv de Neg de Energia) e Governo do Estado (Secretario de Energia) para a análise das condições e necessidades relativas à instalação de projetos eólicos no RN e participação coordenada nos debates e conquistas institucionais junto aos órgãos reguladores e setoriais encarregados de influenciar o ambiente de investimentos no setor.


3. Informações trocadas sobre o recebimento de propostas e manifestações de interesse de grupos de investidores  para análise e concatenação com os planos da empresa no Estado visando a integrar ações sempre que possível e pertinente. 


4. Encaminhamento do assunto Termoaçu-Potigás, em especial recebimento e resposta da carta da ARSEP-RN. Esta Secretaria se comprometeu a acompanhar o assunto junto às entidade envolvidas.


5. Entendimentos com o GG J Alcides acerca de medidas possíveis para re-ordenamento e revitalização do  CT-Gás dentro de um conceito mais amplo englobando Energias Renováveis. A partir daí, início de novas pesquisas e aplicações (sítios remotos) quanto à energia eólica, termo-solar, geotermia e marés. 


6. Ainda nos entendimentos finais com o GG J Alcides, análise de possibilidade de projeto termo-solar de médio porte na região do Vale do Assu, aproveitando a estrutura de escoamento (subestações). 

Um comentário:

Vagner Araujo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
.